Conceitos iniciais sobre o GNU-Linux

O Linux Kernel surgiu em outubro de 1991, e foi criado pelo Linus Torvalds na universidade de Helsink-Finlandia a ideia dele era criar um sistema semelhante ao MINIX, que existe até hoje, a ideia era que o Linux rodasse na arquitetura Intel 80386(IBM-PC).

O que é Linux?

Quando falamos de Linux, estamos falando somente do Kernel, ou o Linux Kernel, mas será que é correto chamar as distribuições somente de Linux? A resposta é, não! Linux é tão somente o Kernel, o núcleo do sistema, é como o nosso cérebro, parece muito maluco mas vou explicar como essa comparação funciona.

O nosso cérebro assim como o Kernel precisa de instruções, e para isso precisamos inserir essas informações, no caso do cérebro temos que estudar e no Kernel um desenvolvedor deve inserir os códigos, que são as instruções, a equipe do Linux Kernel é ainda guiada pelo Linus Torvalds, e claro, existem milhares de desenvolvedores e uma hierarquia entre eles.

E dentro do nosso famoso Linux Kernel há uma salada de linguagens, mas, as mais famosas são C e Assembly e algumas outras linguagens menos populares. Agora você já sabe o que é o Linux Kernel e para que serve.

O que é GNU?

E o GNU? O que é? Primeiro é importante dizer que o GNU significa GNU is Not UNIX (GNU Não é UNIX). O GNU surgiu em 1984 através de Richard Stallman tão conhecido no nosso mundo, a ideia inicial era criar um sistema que fosse compatível com o UNIX, mas sem conter nenhum código proprietário. E aí o tempo passou o GNU foi amadurecendo, ganhou editores de texto, compiladores, tudo para que o GNU funcionasse nos conformes, mas faltava uma coisa, o Kernel.

E foi aí que tudo começou a melhorar, o Richard e sua equipe começaram a desenvolver um novo Kernel que existe até hoje e é chamado de Hurd, mas, o tempo era curto diante de tantas ideias e a possibilidade do sistema se tornar algo grandioso, sendo assim resolveram usar o Linux Kernel ao invés do Hurd.

E o que é GNU/Linux?

É justamente a junção entre o Linux Kernel e o GNU, ou seja, é a inclusão do Linux Kernel e outros softwares que chamamos de aplicações, com essa junção é formada a nomenclatura das distribuições GNU/Linux, que geralmente é chamada apenas de distribuições Linux ou apenas distros.

O que é GNU/Hurd e GNU/Linux-libre

Sei que este curso abrange somente o GNU/Linux, mas não custa nada explicar mais um detalhe. O GNU/Hurd é justamente o uso das aplicações seguido pelo Kernel da Free Software Foundation, o Hurd, assim formando essa nomenclatura pouco conhecida, mas que vem ganhando novos admiradores a cada ano, no site da FSF há uma lista das distribuições homologadas por ela e todas com o Kernel Hurd.

Já o GNU/Linux-libre é o famoso e popular Linux Kernel, mas sem códigos privados. Todos os nomes do GNU/** foram criados para facilitar a identificação do código ali contido, e são usados até hoje pelo Richard, por desenvolvedores, por mim e por milhares de pessoas ao redor do mundo.

E o que é GPL?

Quando falamos sobre software livre, não podemos esquecer da licença GPL – General Public License ou “carinhosamente” GPL, essa licença surgiu em 1989 e claro, foi criada pelo nosso amigo Richard Stallman. Com a GPL as famosas quatro liberdades são garantidas, um detalhe, não existe meio software livre, se o código não atender as 4 liberdades, ele é outra coisa menos software livre.

 

E o que é GNU/Linux?

É justamente a junção entre o Linux Kernel e o GNU, ou seja, é a inclusão do Linux Kernel e outros softwares que chamamos de aplicações, com essa junção é formada a nomenclatura das distribuições GNU/Linux, que geralmente é chamada apenas de distribuições Linux ou apenas distros.

O que é GNU/Hurd e GNU/Linux-libre

Sei que este curso abrange somente o GNU/Linux, mas não custa nada explicar mais um detalhe. O GNU/Hurd é justamente o uso das aplicações seguido pelo Kernel da Free Software Foundation, o Hurd, assim formando essa nomenclatura pouco conhecida, mas que vem ganhando novos admiradores a cada ano, no site da FSF há uma lista das distribuições homologadas por ela e todas com o Kernel Hurd.

Já o GNU/Linux-libre é o famoso e popular Linux Kernel, mas sem códigos privados. Todos os nomes do GNU/** foram criados para facilitar a identificação do código ali contido, e são usados até hoje pelo Richard, por desenvolvedores, por mim e por milhares de pessoas ao redor do mundo.

E o que é GPL?

Quando falamos sobre software livre, não podemos esquecer da licença GPL – General Public License ou “carinhosamente” GPL, essa licença surgiu em 1989 e claro, foi criada pelo nosso amigo Richard Stallman. Com a GPL as famosas quatro liberdades são garantidas, um detalhe, não existe meio software livre, se o código não atender as 4 liberdades, ele é outra coisa menos software livre.